Tiroteio assusta moradores na Zona Norte de Niterói

Disparos foram ouvidos por horas seguidas durante a madrugada da última sexta-feira. Moradores de prédios vizinhos ao Morro do Serrão, no Cubango, ficaram em pânico

O Fluminense

Uma semana depois do tiroteio que deixou em pânico os moradores do Barreto, um novo confronto entre traficantes assustou os moradores da Zona Norte de Niterói durante a madrugada de ontem. Desta vez, a troca de tiros foi no Morro do Serrão, no Cubango. Segundo moradores de prédios próximos à comunidade, os tiros começaram por volta das 2 horas da madrugada. Mais tarde, por volta das 4 horas da manhã, mais barulho de tiros foi ouvido pelos moradores. Apesar dos intensos tiroteios na favela, segundo policiais da 78ª DP (Fonseca), não houve registro na delegacia.

Rafael Carvalho, que mora num prédio próximo à comunidade, contou que pelo barulho dos tiros, parecia que os traficantes estavam usando armamentos de grosso calibre. Ele disse que também ouviu explosões que pareciam de granadas. 

“Essas trocas de tiros, infelizmente, já são comuns aqui no bairro. Mas ontem os tiros foram muito mais intensos. Por morar aqui perto e já estar acostumado aos constantes confrontos no local, percebi que estão sendo usados armamentos pesados. Minha esposa está grávida e fiquei a noite toda apreensivo”, declarou.

Um comerciante que trabalha e mora na região também não dormiu com o barulho dos tiros. Ele disse que o som era ensurdecedor e ficou com medo de ser atingido por uma bala perdida.

“Passei praticamente a noite em claro e hoje nem sei como estou aqui trabalhando. Foi mais de meia hora de tiroteio e a polícia não apareceu”, afirmou.

Outro morador da região confirmou  que o som de tiros é frequente na região, mas na madrugada de ontem o tiroteio foi mais intenso.

“Não foi uma vez só. Os tiros paravam e voltavam. Tudo aconteceu de madrugada e quando se achava que tinha terminado os barulhos voltavam e não deixavam ninguém dormir”, contou indignado.

O delegado Paulo Guimarães, da 78ª DP (Fonseca), disse que não houve registro informando o fato, mas que se algum morador tiver alguma informação que possa ajudar a polícia a esclarecer os fatos, que entre em contato com a delegacia ou com o serviço do Disque Denúncia (2253-1177).

Manifeste sua opinião sobre essa matéria

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário