Moradores de Santa Bárbara pedem a construção de um DPO para o bairro

Após a morte de Lúcio do Nevada, candidato eleito a vereador, moradores querem a construção de um Destacamento de Policiamento Ostensivo na região

Rafael Lopes - O Fluminense

Preocupados com os constantes assaltos e furtos no bairro de Santa Bárbara, Zona Norte de Niterói, moradores da localidade se mobilizaram e formalizaram o pedido para a construção de Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) na região. Após assistirem, no último dia 25 de outubro, ao assassinato do vereador eleito de Niterói pelo PRP e empresário do setor naval Lúcio Diniz Araújo Martelo, o Lúcio do Nevada, 44 anos, os moradores decidiram lutar pela segurança. O 12º BPM informou que não foi notificado formalmente pelos moradores e para a construção de um destacamento para o bairro é necessário realizar um levantamento técnico operacional.

Na última reunião, que aconteceu na semana passada entre os delegados da cidade e o batalhão, foi verificado través da mancha criminal o aumento na ocorrência de crimes na região norte de Niterói. Após essa análise, foi identificada a necessidade de aumentar o efetivo que atua na região.

O delegado responsável pelas investigações da região norte, o titular da 78ª DP (Fonseca), Paulo César Guimarães, afirmou que durante o encontro dos gestores da segurança pública de Niterói, a mancha criminal apontou crescimento dos casos de violência. O que ficou acordado foi o aumento do policiamento ostensivo.
“A princípio, essa medida foi tomada, porém, o que dá resultado nesses casos é a investigação e consequente identificação de pessoas ou quadrilhas que estejam praticando delitos. Uma investigação leva tempo, cerca de um mês depois o resultado aparece, com a queda na frequência de roubos e assaltos”, explicou o titular da 78ª DP.

O comandante do 12º BPM, Wolney Dias, destaca que os registros das ocorrências são de fundamental necessidade para que a polícia possa trabalhar da forma mais eficiente possível na solução dos casos.

“É importante destacar a questão dos registros das ocorrências, pois, apesar das reclamações, não temos esses casos documentados. Eu pego a mancha criminal e não vejo incidência, daí eu não vou alocar policiamento lá. Só assim conseguimos aplicar as ações necessárias”, aponta o comandante.

Ele ainda explica que desde a última segunda-feira, a patrulha do bairro foi intensificada, de acordo com os horários e dias da ocorrência de crimes. “O destacamento migra de acordo com os dados fornecidos pela mancha criminal”, diz Wolney.

Uma pessoa, que preferiu não se identificar por medo, ligada à associação de moradores de Santa Bárbara, revelou que os moradores estão muito preocupados com os últimos acontecimentos no bairro e esperam que a polícia encontre logo uma solução para o problema.

“Estamos com muito medo, porque nunca vimos tanta violência assim. Estamos acostumados com uma vizinhança tranquila. Só queremos andar pelas ruas com segurança. O bairro é cercado por favelas, de um lado é Caramujo, do outro Cova da Onça. Todos sabem que essas comunidades são complicadas”, desabafa Vera.

Nevada

O vereador eleito Lúcio do Nevada foi assassinado no dia 24 de outubro, quando saía da casa de sua mãe, na Rua Jandira Pereira, por volta das 21 horas, para participar de um comício político. Segundo informações de testemunhas, um Palio parou perto do vereador e dois homens saltaram e começaram a disparar em direção a Lúcio. Pelo menos 15 tiros foram disparados e cinco atingiram o parlamentar.

O caso é tratado pela Polícia Civil com o máximo de sigilo. Apesar da identificação dos criminosos e da localização do veículo que foi usado pelos criminosos para matar o vereador, ninguém foi preso até o momento.