Chevrolet Onix surpreende e vira estrela da 'nova' GM no Brasil

Claudio Luís de Souza
Do UOL, em Bento Gonçalves (RS)

Não sabemos se por insegurança, ou, ao contrário, por excesso de segurança, ou por uma razão marqueteira menos óbvia, mas os três principais lançamentos de carros compactos no Brasil em 2012 foram feitos a conta-gotas (e os três estão no Salão do Automóvel de São Paulo).

O Hyundai HB20 foi mostrado duas vezes na Coreia do Sul a um reduzido grupo de jornalistas (a repercussão, aliás, foi nula), sempre camuflado; depois foi possível dirigi-lo dentro da nova fábrica da coreana, em Piracicaba (SP), e publicar fotos oficiais dele, ainda disfarçado (mas vimos o carro limpo); por fim, houve o lançamento propriamente dito.

O Toyota Etios foi mostrado à imprensa primeiro no Japão; depois, houve exibição itinerante em shoppings pelo país; e só então o lançamento com avaliação mais ampla da imprensa.

O Chevrolet Onix passou pelo mesmo processo, incluindo um sem-número de flagrantes de unidades de teste (que, às vezes, estão na rua para serem fotografadas mesmo) e teasers com detalhes do carro; na véspera do Salão houve uma apresentação especial à imprensa, quando divulgamos um primeiro álbum de fotos; e agora, finalmente, pudemos dirigi-lo.

Essa estratégia (tensa, sujeita a reações imprevisíveis, mas inegavelmente frutífera em termos de exposição) dá uma medida da importância desses carros para suas fabricantes, que resolveram apostar alto na qualificação do segmento de compactos no país -- seja se reinventando, como a GM/Chevrolet, seja finalmente entrando no jogo, como Toyota e Hyundai (ambas com novas fábricas).

Esse primeiro contato mais intenso com o Onix comprovou o que o carro parado e desligado (visto assim inclusive no Salão de São Paulo) já permitia suspeitar: o novo compacto da Chevrolet está anos-luz à frente do que a marca oferecia no Brasil até meros dois ou três anos atrás (a começar do Corsa, que ele substitui). Mais que isso, ele expõe ao ridículo o Agile, modelo compacto que surgiu em 2009 como redenção da GM no Brasil, e que agora é candidato ao ferro-velho em 2014 ou até mesmo antes.

Não só porque a plataforma do Onix é a nova GSV, compartilhada por Cobalt, Sonic e Spin (por ora, o Onix é o menor modelo a utilizá-la), e a do Agile é uma gambiarra sobre base antiquada -- outro sinal de dias contados, pois hoje usar plataforma global é condição sine qua non para existir. O fato é que o Onix é... bonito. E há quanto tempo a GM não lançava um carro bonito no Brasil?

Certo, o Cruze também é bacana. Mas o Onix é mais.

Os preços do modelo estão resumidos abaixo; para a lista completa de pacotes, conteúdos e valores, clique aqui:

LS 1.0: R$ 29.990
LT 1.0: de R$ 31.690 a R$ 34.990
LT 1.4: de R$ 35.290 a R$ 38.490
LTZ 1.4: R$ 41.990