Menino que perdeu 65% da pele em reação alérgica se diz "feliz por ter sobrevivido"

BBC Brasil

Um garoto de 11 anos de idade disse estar feliz por estar vivo após uma alergia generalizada que resultou na formação de bolhas por todo o corpo e a perda de 65% de sua pele.

No dia 21 de setembro, a mãe de Calvin Lock, do vilarejo de Littleport, na Inglaterra, deu um remédio para crianças à base de ibuprofeno para tratar um resfriado.

Cinco dias depois ele levantou com uma irritação na orelha e feridas no rosto e na barriga. Inicialmente, suas feridas foram diagnosticadas como catapora, no hospital Addenbrooke.

Somente em uma segunda visita ao hospital foi detectada a rara Síndrome de Stevens-Johnson, que causa uma severa reação alérgica a drogas. Em seguida, as condições de Calvin pioraram e ele foi parar na UTI.

Ao ser transferido para a unidade de queimados do hospital de Broomfield, na cidade de Chelmsford, os médicos o diagnosticaram com uma forma ainda mais grave da doença antes detectada, a Necrólise Epidérmica Tóxica.

"Um filme de terror"

A mãe de Calvin, Robyn Moult, conta que chegou a pensar que o filho ia morrer ao vê-lo perder 65% da pele e todo o cabelo.

"Foi como assistir um filme de terror, vendo a pele do meu filho se perder, foi um pesadelo", disse ela. Ela diz que depois de cirurgias o quadro de Calvin melhorou e ele voltou a se alimentar e andar.

O jovem, agora, já está em casa, mas ainda sob tratamento.

"Parecia que alguém tinha me dado uma surra e me jogado pela janela, porque todo o meu rosto estava cortado e com cicatrizes", conta o jovem de onze anos.

"Eu estou feliz de estar aqui com a minha família e feliz por estar vivo", disse.

Síndrome rara

O professor Naguib Ed-Muttard, médico encarregado do caso no hospital de Broomsfield, disse que a síndrome apresentada por Calvin é extremamente rara, na Europa, a ocorrência é de três casos em cada um milhão de pessoas.

O médico Aomesh Bhatt, diretor da empresa Nurofen para crianças, disse: " Nós temos entristecidos de saber sobre este caso e estamos em contato com a família para pegar os detalhes do caso, como forma dos nossos procedimentos padrões de relatórios para medicamentos".

Um comunicado da empresa farmacêutica disse ainda que reações alérgicas ao ibuprofeno e outros analgésicos pediátricos são extremamente raros e que consta na bula do remédio, que se sintomas semelhantes ao de Calvin aparecerem, é preciso suspender o medicamento e consultar um médico.

A família de Calvin tem planos de montar uma ONG para conscientizar sobre a alergia rara.